Lançamento de curtas-metragens em Festivais

Daniela Marinho

De 3 a 5 de novembro, das 09h às 11h (Horário MS)

Lançamento de curta-metragem em Festivais tem como objetivo capacitar os participantes a potencializar a projeção de curtas em festivais nacionais e internacionais. Serão apresentados os principais festivais de cinema para curta-metragem, além da apresentação de estudos de caso para que o participante possa desenvolver a sua própria estratégia.

Daniela Marinho é produtora, mestre em Comunicação pela UnB e graduanda em Direito. Foi produtora local em mais de 60 mostras de cinema realizadas em Brasília. Co-produtora do curta All Still Orbit (2016), lançado em Rotterdam, e produtora executiva dos curtas O Mistério da Carne (2018), com estreia internacional em Sundance; e O Véu de Amani (2019), ganhador do Kikito de melhor roteiro. Atualmente desenvolve com a roteirista e diretora Rafaela Camelo o longa Sangue do Meu Sangue, ganhador do Prêmio Cabíria em 2019 e participante dos laboratórios BrLab e Produire au Sud em 2020.

O som no audiovisual: muito além da captura

Pedro Durães

De 3 a 5 de novembro, das 14h às 16h (Horário MS)

A criação sonora utilizando meios de gravação e manipulação de áudio já ensaiou o surgimento de diversas linguagens artísticas, como a radioarte e a Música Concreta. No cinema, a sincronia de imagem e som, inicialmente focada no registro das falas e sons de uma cena, foi abrindo portas para experimentos de edição, criação e composição com recursos de áudio. Neste minicurso, abordarei aspectos da criação sonora para audiovisual que estejam além do som direto, mas que podem afetar todo o processo de produção. Para isso, apresentarei um breve histórico do uso da gravação e manipulação sonora como processo criativo, os diferentes elementos na composição sonora de um filme e alguns fluxos de trabalho possíveis para a produção.

Pedro Durães é músico, graduado pela Escola de Música da UFMG, produtor musical e sound-designer, especialmente dedicado à criação e performance musical com recursos eletrônicos e ao desenho de som para cinema. Com um histórico profissional de mais de vinte anos, trabalhou em projetos muito diversos, sempre desenvolvendo música e ruidagem em processos multidisciplinares. É colaborador em trabalhos de realizadores cinematográficos, músicos e artistas como Grupo Galpão (desenho de som para a peça radiofônica Quer ver, escuta, produção musical para o espetáculo teatral Tio Vânia), Máximo Soalheiro (pesquisa em instrumentos em cerâmica e direção musical para o concerto Mineral), Grace Passô e Ricardo Alves Jr (desenho de som e mixagem para os filmes Vaga Carne e Vitória), Clarissa Campolina e Luiz Pretti (desenho de som e mixagem para o filme Enquanto Estamos Aqui), Joana Oliveira (mixagem para o filme Kevin), Affonso Uchoa e João Dumans (desenho de som e mixagem para os filmes Arábia e A Vizinhança do Tigre), Juliana Antunes (desenho de som e mixagem para o filme Baronesa), Cinthia Marcelle (desenho de som e mixagem para as videoinstalações The Family in Disorder: Truth or Dare e NAU), Davi Fonseca, Kristoff Silva e Rafael Martini (produção musical em vários de seus álbuns), Rafael Conde (desenho de som para o filme O suposto filme, trilha sonora para o filme e a peça de teatro A Brincadeira) entre outros.